quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Ocultos

Ocultam-se os pensamentos
Escondidos da razão,
Brincando às escondidas
No real da ilusão.
Quem vem lá?
Pergunta o medo
Armado em valentão,
Temendo que o seu segredo
Se descubra num arremedo
De malvada confissão.
É tão grande a confusão!
Mistura-se o que se perde
No ganhar que não se guarda
Quem não perde, só aguarda
Que se apague o coração.
Quem vem lá? pergunta a medo
A pacífica existência
Que se acomoda no tempo
Temendo que a inocência
Tenha desejos revoltos
Abanando os alicerces

Dos medos que não estão soltos.

Sem comentários: